Reunião de Ibaneis com Michel Temer sinaliza aproximação com o Planalto

Por Delmo Menezes

O presidente Michel Temer recebeu o governador eleito Ibaneis Rocha no Planalto, com a presença dos ministros dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, e da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun (foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

O futuro governador afirmou que vai buscar formas de diminuir a dependência do DF com a União

Por Redação /CB

O governador eleito Ibaneis Rocha (MDB) deu ontem o primeiro passo em busca de uma aproximação com o Palácio do Planalto. Um dia após ser escolhido chefe do Executivo local, com 69% dos votos válidos, ele se reuniu com o presidente Michel Temer, seu correligionário, para tratar de temas de interesse da capital, como a gestão do Fundo Constitucional do Distrito Federal.

Diante da grande dependência do DF com relação ao caixa do governo federal, o futuro governador explicou que vai negociar a liberação de dinheiro da União e, paralelamente, vai trabalhar para que a cidade tenha mais autonomia financeira. Ibaneis garantiu ainda que vai procurar o presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para estreitar as conversas institucionais. “Será certamente uma parceria muito boa para o Distrito Federal e para o Brasil”.

O encontro do advogado com Temer teve a presença dos ministros dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, e da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carlos Marun. O filho caçula de Ibaneis, João Pedro, de 13 anos, o acompanhou na visita oficial. “Quero ter uma proximidade muito grande com o Palácio do Planalto. Sediamos aqui a capital da República. Vim tratar de interesses do Distrito Federal, como o Fundo Constitucional e a mudança do Estatuto das Metrópoles”, disse Ibaneis. Ele se reúne hoje com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e com o governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), para discutir esse assunto.

Outro objetivo do advogado é tratar sobre o orçamento geral da União, em debate no Congresso Nacional, e conversar com integrantes da bancada do Distrito Federal sobre a destinação de emendas. “Vou buscar todos esses recursos para trabalhar nos próximos quatro anos”, afirmou Ibaneis. Durante o encontro, o ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil pediu ao chefe do Executivo nacional mudanças na forma de gestão do Fundo Constitucional do Distrito Federal. A ideia é de que policiais aposentados passem a ser remunerados pelo regime próprio da Previdência Social. “É uma análise que será feita dentro do governo. Isso vai liberar recursos para que a gente possa contratar novos policiais e melhorar a segurança”, afirmou o governador eleito.

Os dois emedebistas também falaram sobre a transferência da gestão da Junta Comercial do DF para a administração local e discutiram um projeto para criação de uma zona de livre comércio do Distrito Federal. “O presidente mandou preparar as medidas necessárias e vai encaminhar ao Congresso. Isso vai facilitar o comércio do DF e nos transformar em um hub para o Norte e o Nordeste”, justificou Ibaneis.

“Com isso, você abre mão de uma parcela da arrecadação mas, no momento em que vende aos outros estados, passa a arrecadar mais”, explicou. Ibaneis conversou com representantes da Inframérica, empresa que administra o Aeroporto Internacional de Brasília, e obteve a informação de que o terminal tem condições de suportar o aumento da demanda que pode ser gerado a partir da criação da zona de livre comércio.

Enquanto busca recursos da União para o DF, essenciais para que Ibaneis Rocha consiga cumprir parte das promessas de campanha, o governador eleito garante que vai trabalhar para reduzir a dependência da cidade com relação aos cofres da União. “Temos carência de arrecadação de recursos e vamos precisar inicialmente do governo federal para fazer obras de drenagem, melhoria da pavimentação, e garantir a reabertura do Teatro Nacional, por exemplo”, argumentou “Mas, depois, vamos tentar acabar com essa dependência, gerando emprego e renda. Senão, vamos continuar nessa dependência para o resto da vida”, acrescentou. Ibaneis Rocha afirma que pretende, assim que possível, se encontrar com o presidente eleito, Jair Bolsonaro. “Estou aguardando que ele venha à cidade para conversar”, contou.

Parlamentares

Deputada eleita pelo Distrito Federal com apoio de Jair Bolsonaro, a ex-procuradora do DF Bia Kicis (PRP) é apontada como uma potencial interlocutora do Planalto no Distrito Federal. A futura parlamentar, que conquistou um mandato em sua primeira eleição, conta que ainda não conversou com Ibaneis Rocha após a eleição, mas pretende tratar com o governador eleito assim que voltar a Brasília. Ela está no Rio de Janeiro desde domingo, quando viajou para acompanhar a apuração ao lado de Bolsonaro.

“Eu e Jair ficamos neutros no segundo turno no Brasil inteiro. Isso foi uma decisão estratégica, já que estávamos focados apenas na campanha dele. A partir de agora, vamos conversar sobre isso. Me tornei uma liderança forte justamente por estar colada ao Jair”, explica. “Tudo que o governador fizer para favorecer o DF, especialmente no sentido de desburocratizar e de favorecer a criação de empregos, terá meu apoio”, afirma Kicis.

O senador Reguffe (sem partido) telefonou ontem para Jair Bolsonaro e para Ibaneis Rocha, parabenizando os políticos eleitos pelo resultado. Em pronunciamento no plenário do Senado, ele falou que pretende ajudá-los, caso haja a apresentação de projetos que considere “bons para a sociedade”. “A minha posição vai continuar sendo a de independência, apoiando o que for bom para a população e contra o que não for bom. Sempre agi assim”, afirmou o senador. “Nunca fui base de governo, sou base da sociedade, e, assim, continuarei sendo. Pretendo ajudar com o meu mandato e torço para que dê certo. Um parlamentar não deve pensar, ao votar um projeto, apenas em agradar ou desagradar governos, ele deve analisar o mérito e avaliar se é bom ou ruim para a população”, acrescentou.

 Fonte: CB

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.