Alunos do Recanto das Emas são apresentados à cultura japonesa

Matriculados no 6º e 7º ano do Centro de Ensino Fundamental 802, estudantes puderam conhecer um pouco das tradições e curiosidades do país oriental.

Matriculados no 6º e 7º ano, 29 alunos do Centro de Ensino Fundamental 802 do Recanto das Emas puderam conhecer aspectos da cultura, da história e das tradições do Japão.Matriculados no 6º e 7º ano, 29 alunos do Centro de Ensino Fundamental 802 do Recanto das Emas puderam conhecer aspectos da cultura, da história e das tradições do Japão. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Os jovens visitaram a sede da embaixada do país oriental nesta quinta-feira (1º). O encontro foi possível graças ao programa Embaixadas de Portas Abertas.

A iniciativa visa oferecer a estudantes da rede pública do Distrito Federal acesso a conhecimentos de história, geografia, cultura, economia e idiomas dos países com representação diplomática em Brasília.

Ponto alto da manhã, os alunos aprenderam a fazer um chapéu samurai com papel na oficina de origami, arte tradicional do país.

Para Sarah Araújo, de 11 anos, a semana foi de ansiedade. Ela contou que acordou hoje às 5 horas da manhã com a sensação de que estava atrasada para o passeio.

Apaixonada por animes — animações japonesas —, a menina esbanjou conhecimento para os colegas sobre Pokémon.

Ela disse não acreditar que pudesse ter contato com a cultura do país que criou o que ela tanto ama. “Eu queria ter nascido no Japão! Tenho vontade de morar lá um dia”, observou, eufórica.

O embaixador Akira Yamada recebeu os estudantes ao lado da embaixatriz Shoko Yamada.
Histórias em quadrinhos

Animes e mangás — histórias em quadrinhos japonesas — dominaram as perguntas das crianças. Akira falou sobre a função do embaixador, explicou o alfabeto japonês e fez uma batalha de Jokenpo (pedra, papel, tesoura) com os alunos.
É um país no qual temos de nos espelhar e aprofundar as nossas amizadesMárcia Rollemberg, idealizadora do projeto e colaboradora do Governo

Em conversa, o embaixador realçou que, apesar de os dois países estarem geograficamente muito distantes, a relação é boa e forte.

“No Japão, moram cerca de 200 mil brasileiros. É o terceiro país com mais brasileiros fora do Brasil. E aqui, moram cerca de 2 milhões de nipo-brasileiros, descendentes de japoneses”, detalhou.

Os estudantes puderam ainda provar sorvete de matcha (chá verde) e doce de azuki (tipo de feijão). Todos saíram com presente: um caderno, caixa de lápis de cor e um broche da Olimpíada de 2020, que ocorrerá em Tóquio, capital do Japão.

A colaboradora do governo de Brasília e idealizadora do programa, Márcia Rollemberg, participou do encontro. Para ela, a união entre modernidade e respeito às tradições é uma das coisas mais interessantes da cultura japonesa. Ela destacou que o intuito do projeto é estreitar laços.

“Embora seja pequeno em território, [o Japão] tem a 10º maior população do mundo, que convive em paz, com qualidade de vida e com muitos avanços de acesso a direitos. É um país com o qual temos de nos espelhar e aprofundar nossas amizades”, apontou.
Embaixadas podem demonstrar interesse no projeto

O Embaixadas de Portas Abertas começou, como piloto, em 2015, e foi instituído oficialmente em 9 de agosto de 2017.

As atividades fazem parte do programa Criança Candanga, conjunto de políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência em Brasília.

Já foram visitadas 50 embaixadas, além da Delegação da União Europeia e do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura.

A iniciativa é uma parceria da Assessoria Internacional com a Secretaria de Educação e a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB) — que leva os alunos às embaixadas.

As representações diplomáticas interessadas em participar do programa podem enviar e-mail para: assessoria.internacional@buriti.df.gov.br.

Fonte: Agencia Brasilia

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.