Presidente eleito Jair Bolsonaro chega a Brasília para iniciar transição

Depois da sessão no Congresso, Bolsonaro deve se reunir com representantes das Forças Armadas

O presidente eleito terá a escolta da Polícia Federal e de homens da Polícia Militar(foto: FAB/Divulgação) 

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), desembarcou por volta das 9h desta terça-feira (6/11), na Base Aérea de Brasília, para a sua primeira viagem à capital federal depois das eleições. O jato Legacy da Força Aérea Brasileira (FAB) que transportou Bolsonaro atrasou cerca de 20 minutos no seu deslocamento a partir do Rio de Janeiro. 
Continua depois da publicidade

As primeiras informações indicam que a aeronave fez uma volta sobre Unaí (MG), a cerca de 160 quilômetros do Distrito Federal. Devido ao tempo nublado, a pista de pouso estava sendo operada por meio de aparelhos. 

Na chegada ao terminal da Base, Bolsonaro, o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, e outros integrantes de sua equipe foram recepcionados pelo comandante do local, brigadeiro do Ar Ari Soares Mesquita, e pelo general reformado Augusto Heleno Ribeiro, indicado para integrar o novo governo. 

A previsão é que Bolsonaro faça um percurso de carro até o Congresso Nacional, onde participa de cerimônia de celebração dos 30 anos da Constituição Federal, por volta das 10h. O presidente eleito terá a escolta da Polícia Federal e de homens da Polícia Militar. Acompanhava o presidente eleito o seu vice, general Hamilton Mourão. Bolsonaro deixou a base por volta das 9h30.

Em frente à Base Aérea, o clima é tranquilo. Há apenas um grupo de jornalistas e 35 agentes do Batalhão de Infantaria da Base, que fazem a segurança do local. Perto dali, a cerca de dois quilômetros da Base, também há um grupo de apoiadores de Bolsonaro - que deverá acompanhar a comitiva do presidente eleito até ao Congresso.

Depois da sessão no Congresso, conforme o Estado apurou, Bolsonaro deve se reunir com representantes das Forças Armadas. Também deve ter uma série de reuniões com a equipe de transição, nomeada na Segunda-feira (5/11) e que está sob a coordenação do ministro extraordinário Onyx Lorenzoni.

Acompanham Bolsonaro o vice-presidente eleito, general Mourão, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, entre outros.

Também estarão ao lado do presidente eleito o ministro extraordinário Onyx Lorenzoni, e o general Augusto Heleno, confirmado para a Defesa. Ambos participam ativamente do governo de transição.

Agenda

O presidente eleito deve almoçar com o ministro Defesa, Joaquim Silva e Luna, depois tem reuniões com os comandantes da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e do Exército, general Eduardo Villas Bôas.

Para quarta-feira (7/11), está previsto café da manhã com o comandante da Aeronáutica, o brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Haverá ainda encontro com os presidentes do STF, Dias Toffoli, e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio de Noronha.

Transição

Bolsonaro e Temer se encontram, pela primeira vez desde a eleição, amanhã às 16h, para selar o início simbólico do governo de transição. Até o final de dezembro, equipes dos dois presidentes trabalharão juntas para reunir dados e sanar dúvidas, no esforço de dirimir dificuldades para o governo eleito.

Continua depois da publicidade

Antes porém, por volta das 14h, o presidente eleito pretende visitar o Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), onde funcionará o governo de transição. O local, que fica a 8 quilômetros da Esplanada dos Ministérios e a 4 do Palácio do Planalto, serve de gabinete de transição desde a primeira eleição do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sucessor de Fernando Henrique Cardoso.

Com informações da Agência Brasil

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.