Bikes compartilhadas fizeram mais de 1 milhão de viagens no DF desde 2014, só no Plano Piloto

Projeto surgiu em 2014, mas ainda não foi estendido às demais regiões administrativas. Em Santa Maria, ONG montou ação por conta própria.

Por Flávia Marsola e Vinícius Cassela, TV Globo

Projeto de bikes compartilhadas do GDF completa 4 anos
DF2

Projeto de bikes compartilhadas do GDF completa 4 anos

Levantamento feito pela TV Globo mostra que, em quatro anos, o projeto de bicicletas compartilhadas do governo do Distrito Federal já fez mais de 1 milhão de viagens. A iniciativa foi lançada em 2014 e, hoje, conta com 50 estações no Plano Piloto.

Segundo as informações do portal Dados Abertos, do governo local, a estação mais "bombante" fica no Eixo Monumental, entre o Parque da Cidade e o Brasil 21. Nesta quarta-feira (26), a equipe da TV Globo não encontrou nenhuma bike disponível no suporte.

Ao todo, 1.237.479 viagens foram realizadas desde 2014. Entre as pessoas que indicaram sexo no formulário de cadastro, 73% são homens, e 27%, mulheres. De cada três usuários, dois têm idades entre 21 e 40 anos.

Ainda de acordo com os dados, 30,46% das viagens foram feitos de manhã, 47,8% à tarde, e 20,86% à noite. Só em 2018, quase 400 mil percursos foram concluídos com as bikes compartilhadas – 149,3% a mais que o primeiro ano de projeto.

Como funciona?
Para usar as bicicletas, é preciso fazer um cadastro no site do projeto +Bike. O custo da assinatura varia entre R$ 3 (passe diário) e R$ 10 (anual).

Após preencher o formulário e confirmar o pagamento, o usuário pode liberar a bike na estação usando um aplicativo de celular ou uma ligação para a central de atendimento. Daí, é só fazer o percurso desejado e entregar a bicicleta novamente – em qualquer estação com vaga.

Se a bicicleta ficar mais de 60 minutos seguidos fora do suporte, o usuário paga R$ 5 para cada hora adicional. Após a devolução, é preciso esperar 15 minutos para retirar outra bike sem custo. Além dos veículos para adultos, há estações com bicicletas infantis – o cadastro é feito separadamente.

Fora do Plano

Mesmo com os bons números, passados quatro anos, o projeto de bikes compartilhadas ainda não ultrapassou as barreiras do Plano Piloto. Em Santa Maria, a ONG Família Hip Hop criou um projeto "paralelo" para suprir a demanda dos moradores.

Atualmente, 40 pessoas estão cadastradas e podem usar as 18 bikes do projeto entre 8h e 18h. Se a bicicleta não for entregue no dia, a multa é de R$ 2. Outras 12 "magrelas" recebidas pelo projeto devem passar por ajustes e entrar em circulação, nos próximos meses.

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.