Em 2019, Rollemberg volta ao Senado com cargo na liderança do PSB

Derrotado nas urnas em outubro, governador do DF se prepara para reassumir vaga como analista legislativo na Casa

O governador Rodrigo Rollemberg retornará ao Senado assim que deixar o comando do Palácio do Buriti. Ele reassume a função de analista legislativo e será lotado na liderança do PSB, seu partido, a partir de janeiro de 2019.Conforme informou a assessoria de Rollemberg, o socialista é servidor de carreira do Senado, “tem vasto conhecimento da política nacional e local e vai contribuir com o PSB na construção de um país melhor.”Antes de assumir efetivamente o cargo, o governador vai tirar uns dias de férias. Pessoas próximas dizem que Rollemberg não quer se afastar da política, mantendo a relação com o grupo com o qual dividiu a sua gestão à frente do Palácio do Buriti.Veja o Portal da Transparência do Senado:


Apesar de integrar o quadro do Senado Federal, diferentemente de outros servidores, Rollemberg não ingressou no Legislativo por meio de concurso público. De família ligada a políticos e magistrados, conseguiu integrar efetivamente a lista de servidores da Casa no chamado “maior trem da alegria” da história do Senado Federal. À época, cerca de 1,5 mil pessoas foram efetivadas como servidores, sem a realização de concurso público.Apesar da dispensa das provas de aptidões, os funcionários foram contratados no regime da CLT e com direito à estabilidade no trabalho e à aposentadoria integral — sem submissão ao teto do INSS –, por exemplo. À ocasião, a lei já previa que o concurso deveria ser a principal forma de ingresso no serviço público, mas abria espaço para exceções.Além de Rollemberg, outros nomes conhecidos figuram na lista dos beneficiários. Ex-diretor-geral do Senado Federal, o atual deputado distrital reeleito Agaciel Maia (PR) também engrossa as filas do “trem da alegria”.

Fonte: Metrópoles

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.