Ibaneis: “Vou andar pelos hospitais sem avisar e cobrar resultados”

Governador assinou nesta segunda-feira (7/1), no Instituto Hospital de Base, o decreto de estado de emergência na Saúde no Distrito Federal.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), assinou nesta segunda-feira (7/1) o decreto de estado de emergência na Saúde. Instrumento utilizado pelas últimas gestões, o normativo tem como objetivo facilitar as contratações de equipamentos e serviços, além de facilitar a gestão de servidores. “Por quê mais um decreto? Todos os governos fizeram isso, mas não conseguiram dar continuidade”, explicou o emedebista durante solenidade promovida nesta manhã, no Instituto Hospital de Base (IHB).

O decreto vai permitir ao Governo do DF contratar serviços e comprar insumos sem licitação, chamar concursados e ampliar a carga horária dos servidores. “Não se justifica a péssima qualidade da saúde sendo que há muitos recursos”, afirmou o governador. Ele prometeu fiscalizar pessoalmente os serviços. “Vou trabalhar como um pai que dá com a mão e cobra com firmeza os resultados. Vou andar pelos hospitais, sem avisar, para ver como está a situação.”

Ibaneis aproveitou o evento para elogiar o IHB e prometeu expandir a experiência no local para os outros hospitais. “Critiquei muito o modelo, mas era sobre a falta de transparência dele. Pedi ao [ex-governador Rodrigo] Rollemberg que me explicasse, mas o modelo é de excelência e tem de se estender a todos os hipóstase”, afirmou.

Segundo o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, dentro das necessidades principais no momento para a pasta estão a liberação de leitos de unidades de tratamento intensivo (UTI), para internações e centro cirúrgico. “Faltam medicamentos e condições de trabalho. A ausência desses materiais tão importantes é fundamental para termos um serviço de impacto para melhorar o atendimento”, afirmou. Segundo ele, as condições de vacinação caíram muito nos últimos anos e algumas doenças ressurgiram.

Relatório
A situação de calamidade em 12 hospitais e seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) consta em relatório entregue ao governador Ibaneis Rocha (MDB). O caos no setor fez o emedebista decidir decretar estado de emergência na área.

Recheado de fotos e descrições sobre as condições prediais, materiais, de manutenção, além do quadro deficitário de profissionais, o relatório que embasou a decisão de Ibaneis Rocha aponta problemas que reduzem a capacidade e a qualidade de atendimento. O diagnóstico foi produzido durante os primeiros dias 2019 e concluído em 3 de janeiro.

Fonte: Metrópoles

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.