Deputado quer tornar DF referência em políticas públicas para surdos

Delmasso ressalta necessidade de se aprender a Língua Brasileira de Sinais (Libras).
Transformar o DF na unidade da federação referência em políticas públicas para pessoas surdas e com deficiências auditivas é a ideia do deputado Delmasso (PRB), que propôs a criação de uma subcomissão – formada por três distritais – dentro da Comissão de Educação, Saúde e Cultura (CESC) da
 Câmara Legislativa para acompanhar o tema mais de perto.

O parlamentar relatou, durante a sessão ordinária desta quarta-feira (27), a reunião que teve com representantes de várias entidades ligadas à questão, incluindo servidores do governo federal, e afirmou que Brasília tem as condições para que aqui sejam implantadas, ou sejam mais incentivadas, diversas experiências. Também reforçou a necessidade de se aprender a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O deputado recebeu apoio dos colegas Iolando (PSC) e Jorge Vianna (Podemos). O primeiro se comprometeu em defender a causa e trabalhar a favor dos surdos. Por sua vez, Vianna contou que se sentiu "envergonhado" em visita a uma escola de Santa Maria, onde há alunos que se comunicam por Libras. "Me vi como um estrangeiro em meu próprio País", declarou. Ele lembrou que protocolou projeto de lei para que intérpretes de Libras sejam mantidos nas unidades escolares.

Permissionários – O deputado Claudio Abrantes (PDT) também comemorou, durante a sessão ordinária, a redução da taxa de ocupação que é devida ao governo, por exemplo, por comerciantes instalados em terminais rodoviários. "A Câmara Legislativa contribuiu para isso quando aprovou, na legislatura passada, decreto legislativo que revogava a majoração", comentou. O valor chegou a R$ 35,00 por metro quadrado. Agora, segundo o distrital, os boletos chegaram aos permissionários com o valor original – R$ 12,80.

Marco Túlio Alencar
Fotos: Silvio Abdon
Comunicação Social - Câmara Legislativa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.