Implementação de escolas bilíngues na rede pública do DF começa em julho

Projeto terá início no Centro Educacional Lago Norte. Segundo GDF, conclusão deve ocorrer em 2021.

Por Pedro Alves, G1 DF

Estudante em escola da rede pública de ensino do DF — Foto: Andre Borges/Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal anunciou nesta quarta-feira (8) o cronograma de implementação da primeira escola bilíngue na rede pública da capital. O Centro Educacional Lago Norte (Cedlan), escola de ensino médio em tempo integral, será a primeira beneficiada com o projeto. O francês será o segundo idioma na unidade.

Segundo o cronograma divulgado pelo GDF, a implementação da medida na escola deve ser concluída no segundo semestre de 2021. Mas já a partir de julho deste ano, professores passarão a ter aulas do idioma, para que depois possam transmitir o conteúdo aos alunos.

A primeira disciplina ministrada em francês está prevista para o primeiro semestre de 2020. Ao fim dos três anos de implementação, a expectativa do GDF é que todas as atividades do contraturno sejam faladas na língua estrangeira, além de algumas disciplinas no período regular.

Nesta quarta-feira, o secretário de Educação, Rafael Parente, assinou memorando de entendimento com o embaixador da França, Michel Miraillet, para a implantação da medida.

Segundo a secretaria de Educação, a próxima escola a ter o projeto implementado será o Centro de Ensino Médio 03, em Taguatinga, onde a língua-alvo será o espanhol.

Confira o cronograma de implementação no Centro Educacional Lago Norte:


Cronograma de implantação da primeira escola pública bilíngue do DF. — Foto: Reprodução/Secretaria de Educação do DF

Início do projeto

A execução do projeto terá início em 29 de julho, quando os professores da unidade começarão a ter aulas de francês. O processo de formação deles deve durar dois anos.

Todos os educadores assistirão às aulas, mas só os que forem ministrar lições em francês precisarão ter fluência no idioma.

No mesmo mês, os estudantes começam a frequentar salas de vivência, “espaços que fogem do formalismo das salas de aula tradicionais, com itens como objetos decorativos e sofás, no lugar das carteiras”.

Essas atividades serão realizadas três vezes por semana, no contraturno, para que os alunos tenham um primeiro contato com a língua. Aulas sobre história e cultura da França vêm em seguida, a partir de agosto.

Cedlan

Segundo a Secretaria de Educação do DF, a escolha pelo Centro Educacional Lago Norte para o início do projeto se deu porque a escola “apresenta problemas em relação aos indicadores educacionais”.

A escola atende a 360 alunos de ensino médio no diurno, que serão os participantes do projeto, além de outros 94 no noturno e 151 na educação de jovens e adultos (EJA).

Segundo a pasta, a clientela vive em comunidades vulneráveis, sendo 85% do Varjão e os demais basicamente do Itapoã e Paranoá.

Projeto


Secretario de Educação do DF, Rafael Parente — Foto: TV Globo

A implantação das escolas bilíngue faz parte da bandeira Excelência para Todos, prevista no plano estratégico proposto pelo GDF para a Educação. Segundo o secretário Rafael Parente, o objetivo da medida é fortalecer o ensino médio e permitir que os estudantes saiam das escolas mais preparados.

“As pesquisas mostram que os ganhos do bilinguismo vão para além do aprender uma nova língua. Há ganhos cognitivos. Os estudantes que aprendem uma nova língua aprendem melhor também as demais disciplinas, além de proporcionar a eles diferentes pontos de vista para enxergar o mundo”, afirma Rafael Parente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.