MPS se transforma no maior movimento de massa do PSB e caminha para se organizar em 1000 municípios do Brasil

 Em viagem durante o mês de outubro nos últimos quatro finais de semana aos estados de Goiás, Amapá, São Paulo e Rio de Janeiro o Secretário Nacional do Movimento Popular Socialista, Acilino Ribeiro, constatou um crescimento extraordinário do MPS nos respectivos estados, tanto a nível quantitativo como qualitativo, segundo afirmou ontem em entrevista.

Conforme informou o Secretário, em Goiás, o MPS saltou de três (03) para quinze (15) municípios este ano onde está organizado e se fortalecendo, ultrapassando assim a meta estabelecida politicamente e a expectativa legal que era de dez (10) municípios. O Secretário Estadual do MPS no Estado, João Batista Fonseca agradeceu o apoio que tem recebido do secretário para o trabalho de base e afirmou que além das comissões municipais iniciará a partir de janeiro a organização dos dezoito (18) Núcleos de Base do segmento no Estado.

Encontro Estadual do MPS de GOIÁS

No Amapá, onde Acilino Ribeiro além de participar de um evento da FJM – Fundação João Mangabeira, também participou do Encontro Estadual de Integração Partidária sob a direção do Secretário Estadual do segmento amapaense Washington Picanço. Acilino disse que encontrou no Amapá um MPS forte e de massa, com uma militância aguerrida e construindo um movimento combativo e politicamente focado. O ambientalista Paulo Rocha, um dos principais líderes do MPS no estado também relatou o desenvolvimento dos núcleos de base e as estratégias desenvolvidas pela militância. Também no Amapá o crescimento do MPS foi grande, passando de duas (02) para sete (07) comissões municipais esperando atingir todo estado em breve.


Encontro Estadual de Integração Partidária e Formação Política do AMAPÁ

No Estado de São Paulo além de fechar um acordo com diversos setores populares que vieram para o PSB e passaram a militar no MPS, dentre diversas lideranças e coordenadores de grupos de população de rua, camelôs, metroviários, professores, líderes comunitários, camponeses, sem-terra e sem-teto, Acilino Ribeiro participou de dois eventos: O primeiro com a presença do vereador Elizeu Gabriel, presidente municipal do PSB da capital, do então secretário municipal do MPS Tarcísio Tatú, e ainda do secretário estadual do MPS de Wanderson Alves e a Coordenadora Nacional do Núcleo de Base Camponesa e de Trabalhadores Rurais, Thaisa Dayane Silva no Encontro Municipal de Organização de Base e Formação Política, no qual Acilino costurou um acordo com sete grupos políticos sociais e foi eleita uma nova Executiva Provisória para a capital de São Paulo e escolhido como secretário municipal de capital André Nascimento, também ligado ao núcleo de base de Pessoa com Deficiência.

Outro importante evento foi a realização da Plenária Estadual da População de Rua e Ressocialização onde ficou decidido que o mesmo apresentará um candidato a vereador nas próximas eleições de 2020 e se empenhará na campanha a prefeito do ex-governador Márcio França, caso seja candidato. Em SP onde o MPS só tinha a Comissão Executiva Estadual e a municipal da capital o Movimento Popular Socialista saltou para trinta e duas (32) municipais ultrapassando o limite legal que seria de 27 municípios.


Encontro Municipal do MPS de SP

No Rio de Janeiro, com o apoio do deputado federal e líder da oposição no Congresso, Alessandro Molon, o Secretário Nacional do MPS, Acilino Ribeiro também desenvolveu duas atividades que fortaleceram o MPS e o PSB no Estado. Articulou a adesão de diversos dirigentes de torcidas organizadas, jogadores e líderes esportivos para se filiarem ao PSB e militarem no MPS, organizando o Núcleo de Base Esportivo, de Recreação e Lazer e se reuniu com a executiva estadual e os secretários municipais do MPS no Estado no Encontro Estadual de Integração Partidária e Formação Política. Acilino afirmou que sob a lideranças do secretário estadual do MPS Lourenço César o MPS tem a perspectiva de se estruturar em praticamente todo o Rio de Janeiro e organizar os dezoito núcleos de base do segmento. Elogiou bastante o entusiasmo e o compromisso político da militância do MPS do RJ e afirmou que retornou a Brasília muito satisfeito com a atuação da militância carioca. O MPS está organizado em dez (10) município no estado ultrapassando a barreira legal que seria de quarto (4) municípios.

Nos quatro estados Acilino também incentivou a organização dos Coletivos de Base, Feminino e Estudantil que congrega as mulheres e os estudantes que militam no MPS. Além de fortalecer e ampliar o debate sobre a estruturação dos núcleos de base. Em todos eles porem o Secretário Nacional debateu sobre a Conferencia Política de Autorreforma do PSB e garantiu a amis ampla participação da militância no debate após aprovada as diretrizes que serão deliberadas no próximo evento que se realizará em novembro no Rio de Janeiro.


Indagado sobre o crescimento vertiginoso do MPS neste último ano em que assumiu a direção política e nacional do segmento afirmou que credita essa performance ao companheirismo e compromisso da militância do segmento e elogiou a vinda de novos quadros e lideranças e afirmou que a primeira condição para um crescimento qualitativo e como consequência quantitativamente também é o partido se abrir a novos quadros e ir para as ruas participar de manifestações populares, construindo suas lideranças nas massas.

Afirmou que “os dirigentes não podem ter medo de quem tem voto, pelo contrário, tem que se ter medo é de quem não tem voto”. E que o PSB deve ir buscar novas lideranças e formar novos quadros numa nova política de formação. E concluiu afirmando que a Autorreforma é o espaço democrático e participativo para isso, finalizando afirmando que espera chegar ao próximo Congresso Nacional do PSB e do MPS organizado em Hum mil municípios e finaliza parabenizando o presidente nacional do Partido Socialista Brasileiro, Carlos Siqueira pela inciativa.
Por Katharine Garcia
AGNOT – MSF – 31\10\19 – KG:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Espaço Mulher DF - 2013 - Todos os direitos reservados.